Atenção:

Para navegar no site habilite o "JavaScript" em seu navegador (browser) de internet!
 
 
 
Destaques
 
Notícias Online
 
  buscar notícias:
 
13/10/2017
Porto de Maceió vai receber investimentos de R$ 31,7 milhões

Dragagem deve gerar o aumento de rotas de cruzeiros marítimos na capital alagoana e do fluxo turístico no estado

Em pouco mais de seis meses, a profundidade do porto de Maceió vai passar de nove para 11 metros. O ministro dos Transportes, Portos e Aviação (MTPA), Maurício Quintella, assinou nesta quarta-feira (11) contrato com a empresa belga Jan de Nul que prevê a dragagem do local, com aporte de R$ 31,7 milhões. O investimento vai facilitar a atração de cruzeiros turísticos para o estado e aumentar a capacidade de escoamento da produção em até 30%. O ministro do Turismo, Marx Beltrão, enfatizou a importância da iniciativa para movimentar a economia do estado.

O ministro Maurício Quintella, lembrou que há quase 20 anos o porto de Maceió não recebe uma obra significativa. "Além de possibilitar o aumento da movimentação do porto, a dragagem vai gerar emprego e terá um impacto muito grande no desenvolvimento econômico do estado. Até o fim do 1º semestre de 2018, Maceió terá um porto mais competitivo”, avaliou.

Para o ministro do Turismo, Marx Beltrão, que assinou o contrato como testemunha, a obra terá um grande impacto no estado. “Turismo e Transportes andam juntos. É impossível pensar num salto significativo no turismo sem uma infraestrutura adequada seja aeroportuária, portuária ou rodoviária”, comentou Marx Beltrão. A próxima etapa da obra a ser finalizada até o fim do ano é a construção do terminal de passageiros.

Mesmo se dispor de uma infraestrutura adequada para receber os cruzeiros, Maceió receberá sete navios na temporada 2017/2018. O primeiro navio aporta no dia 26 de novembro, marcando a primeira de sete escalas que serão realizadas até março de 2018, dando oportunidade para que os passageiros conheçam os principais atrativos da capital alagoana. De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas, cada passageiro de um grande navio chega a gastar R$ 466 por dia nas escalas.

O setor de cruzeiros marítimos, segundo a Clia Brasil, entidade que representa o segmento, contribuiu com R$ 1,91 bilhão para a economia brasileira na temporada 2015/2016. Para impulsionar o setor, que já chegou a transportar 800 mil turistas pela costa brasileira em 20 navios, o Ministério do Turismo vem atuando, no âmbito do governo, em apoio à pauta de reivindicações dos armadores. São, entre outras, questões relacionadas à praticagem, regulação e trabalho a bordo. Esses foram os principais temas discutidos em seminário “Cruzeiros Marítimos: o momento é esse”, promovido em setembro, em Brasília, com apoio do MTur.

“Temos um amplo potencial para voltar a crescer no setor de cruzeiros marítimos. Já chegamos a ter 20 navios na nossa costa e agora temos apenas sete. Isso mostra o tanto que é urgente resolver os gargalos e aumentar a competitividade desse setor”, comentou Marx Beltrão. A expectativa da Clia Brasil é embarcar 427 mil passageiros até o final da temporada, em abril de 2018. No total, serão 121 roteiros, passando por 15 cidades. “Estamos com cerca de 10% a mais de oferta nesta temporada e com mais minicruzeiros e saídas do Rio de Janeiro”, comenta o presidente da instituição, Marco Ferraz.

Além de Maceió, participam da temporada as seguintes cidades: Rio de Janeiro, Santos, Búzios, Salvador, Ilha Grande, Ilhabela, Ilhéus, Portobelo, Cabo Frio, Recife, Angra dos Reis, Ubatuba, Fortaleza e Balneário Camboriú, que faz sua estreia na rota dos cruzeiros


Fonte: MTur
 


Últimas Notícias 
23/10/2017
» Hospitalar realizará Warm Up do HIMSS@Hospitalar 2018
23/10/2017
» Feicon Batimat é patrocinadora do Ecomac Bahia 2017
23/10/2017
» Moda e comportamento na “nova elegância” são o tema do papo legal, evento que antecede a Zero Grau
23/10/2017
» Brasil disputa prêmios de turismo entre os melhores do mundo
23/10/2017
» Abav Expo 2017: Boas marcas, público qualificado e uma projeção de R$ 16 milhões em negócios gerados
mais...
  buscar notícias: