Atenção:

Para navegar no site habilite o "JavaScript" em seu navegador (browser) de internet!
 
 
 
Destaques
 
Notícias Online
 
  buscar notícias:
 
13/11/2017
Troca de experiências marca 2º Deatec Summit

“A inovação deve ser uma política de Estado e não uma política de governo. Por isso, a tríplice hélice – atuação conjunta do poder público, iniciativa privada e instituições de ensino – tem importância fundamental”. A afirmação é do presidente do Orion Parque Tecnológico, de Lages, e presidente do SBT-SC Roberto Amaral, que participou nessa semana do 2º Deatec Summit, realizado pela Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec), em Chapecó.

Amaral integrou os debates do painel sobre o “Setor de Tecnologia e Inovação do Oeste Catarinense - Visão e Comprometimento da Tríplice Hélice” que contou também com a participação do diretor de Desenvolvimento de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável Jean Carlo Vogel, secretário de Desenvolvimento Econômico de Chapecó Márcio Sander, vice-reitor da Unoesc Chapecó Ricardo de Marco, reitor da Unochapecó Claudio Jacoski e presidente da Deatec André Telöcken. O painel foi mediado pelo empresário e diretor de Startups da Deatec Rudinei Carlos Gerhart.

A estrutura do Orion Parque foi apresentada por Amaral. Inaugurado em 2016, o objetivo é incrementar a riqueza da comunidade promovendo a cultura da inovação e da competitividade das empresas e instituições geradoras de conhecimento. De acordo com o presidente, o Parque é um ambiente público que possui diversos projetos para apoiar empresas, promover cursos tanto para o setor empresarial como para a comunidade e impulsionar o desenvolvimento de inovação na região.

O reitor da Unochapecó expôs os projetos da universidade com foco na inovação, como a Incubadora Tecnológica e o Parque Científico e Tecnológico Chapecó@. “A economia de Chapecó se transformará a partir do Parque. Aliado a isso, a universidade está passando por uma renovação para se aproximar cada vez mais do setor produtivo. Porém, o Oeste ainda precisa de mais espaço. Dos 81 doutorados que temos no Estado, apenas dois são em Chapecó. Precisamos reduzir essa dicotomia entre as regiões. Para isso, a tríplice hélice é fundamental”, salientou.

Ricardo de Marco enfatizou que o desenvolvimento se origina da capacidade empreendedora da região e isso demanda das universidades um grande esforço para formação de profissionais qualificados. “Temos que ter um olhar crítico para preparar pessoas capacitadas para atender o mercado atual e futuro”.

A política municipal de incentivo à inovação com a criação do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação e da Gerência de Tecnologia e Inovação foram destacados por Marcio Sander. “Chapecó é um polo tecnológico reconhecido e, com sinergia entre o poder público, universidades e iniciativa privada pode se desenvolver ainda mais”. Sander também citou a doação de um terreno para a Deatec onde será construído o Condomínio Tecnológico.

Jean Carlo Vogel realçou os programas do Governo do Estado dos centros de inovação e o Geração Tec que será lançado neste ano. Os centros de inovação tem a finalidade de promover o empreendedorismo, estimulando a criação de negócios de alto valor agregado, fortalecendo a atração de investimentos e unindo o poder público, o setor privado e as instituições de ensino. Vogel também ressaltou o Pacto pela Inovação, assinado na semana passada por 29 entidades. “Essas instituições aceitaram o desafio de propor ações que possam ser realizadas em 12 meses. Foram apresentadas quase cem ações que iremos colocar em prática a partir de um plano de ação que será traçado nas próximas reuniões”.

O presidente da Deatec, André Telöcken, salientou que a entidade foi criada em 2005 e possui, atualmente, mais de 100 associados. Reúne empresas do setor de base tecnológica para fortalecer o segmento, gerando incremento no trabalho, renda, qualificação e inovação. “O setor está em expansão em Chapecó e região. A Deatec tem exercido um papel fundamental para o desenvolvimento do ecossistema inovador no Oeste, atuando, desde sua fundação, para fomentar a ampliação de novos negócios e de inovação. Para isso, contamos com apoio de empreendedores que acreditam no associativismo e com a parceria de entidades como o Sicoob, BRDE, Badesc e Sicredi”, finalizou.

A programação do 2º Deatec Summit contou ainda com três palestras: sobre “Autodireção: Quanto custa a má gestão do tempo?” com o Leadership Training for Managers da Carnegie University USA Alexandre Galon; “Porque você precisa acelerar sua Startup!”, com o advogado, investidor anjo, cofundador da 1Bi Capital - Aceleradora de Startups Andrei Bueno Sander; e “Canais de vendas como vantagem competitiva”, com consultor, diretor da empresa Market Growing, escritor do Portal Resellerweb, da revista CRN Brasil e da Channel Partner de Portugal Renato Machado.


Fonte: Assessoria de Imprensa
 


Últimas Notícias 
17/11/2017
» Francal 2018 lança projeto inédito e inovador para segmento infantil
17/11/2017
» HIMSS@Hospitalar será apresentado na Medica 2017
17/11/2017
» Empresário bom pagador deve ser reconhecido
17/11/2017
» Apresentação de tendências da feira de luxo Première Vision ocorrerá em Novo Hamburgo
17/11/2017
» São Paulo, Paraná e Santa Catarina recebem Conexão Inspiramais
mais...
  buscar notícias: